Petrobrás pode e deve reduzir o preço do gás de cozinha, da gasolina e do óleo diesel


26 de Maio de 2018

A atual forma de aumentar o preço dos combustíveis criada pela direção da Petrobrás, escolhida por Temer, tem o objetivo de aumentar o lucro de investidores e fazer do refino algo atrativo para venda.

As refinarias estão produzindo muito menos do que podem, o país está importando muito mais combustível dos EUA, a população está pagando muito mais caro no gás de cozinha, na gasolina e no óleo diesel, enquanto isso os acionistas seguem faturando alto…

Lutar junto com os trabalhadores caminhoneiros!

A ideia de que a luta dos caminhoneiros não tem contradições é equivocada. De um lado têm os interesses dos que vivem do seu próprio trabalho como os autônomos, os terceirizados e os contratados. De outro lado, têm os interesses das grandes empresas de transporte que querem usar o movimento para aumentar sua taxa de lucro.

Os trabalhadores das diversas categorias têm razão em apoiar a luta dos caminhoneiros e não permitir que seja usada por patrões, que nunca se importam com o conjunto da população e buscam sempre pagar menos impostos.

Os petroleiros podem ter um papel chave nessa luta hoje! A atual diretoria da Petrobrás, que pensa mais nos EUA que no povo brasileiro, anunciou que pretende privatizar parte da empresa com a venda de 4 refinarias, fábricas de fertilizantes, poços de petróleo, etc. o que vai piorar ainda mais a situação do povo brasileiro.

Nós, petroleiros, precisamos entrar de greve já! Resgatar a imagem da Petrobrás junto à população. Retomar o papel social da Petrobrás, como uma empresa para atender as necessidades do povo brasileiro e não uma empresa para aumentar o lucro de acionistas internacionais.

Reage Petroleiro!

Se ficarmos apenas assistindo o que está acontecendo no país, poderá acontecer como em 2013. O povo finalmente quer fazer algo e isso pode ser usado pela direita para piorar ainda mais as coisas. Temos que entrar em cena já, para não tomar de 7 x 1 dos estrangeiros. Os inimigos já estão na disputa querendo usar o movimento e parados não vamos nem disputar…

Temos também que aprender com o passado e nos organizar “por baixo”, não podemos ficar reféns de “Deliberativos” como em 2015. Em cada base, temos que fazer contato com os outros trabalhadores e discutir como e quando fazer o que tem de ser feito.

Reduzir os preços de gás de cozinha, gasolina, óleo diesel e acabar com a política de preços de Temer é essencial para impedir a venda do Refino. Esta bandeira é nossa, petroleiro, e dos brasileiros.

 

Fim imediato da política de reajustes de preços da Petrobrás!

Diminuição dos preços dos combustíveis sim, inclusive, da gasolina e do gás de cozinha!

Trabalhadores caminhoneiros e autônomos não se deixem usar!

Não à venda de refinarias! Não à venda de poços de petróleo! Não à venda de fábricas de fertilizantes!

Por uma Petrobrás 100% pública, dirigida por quem nela trabalha e a serviço do povo brasileiro!