Solidariedade à greve dos trabalhadores e trabalhadoras dos correios!


29 de setembro de 2017

A greve de Correios é a principal luta da classe trabalhadora brasileira nesse momento. Enfrenta o governo, a empresa e as ameaças de privatização. Tem como pauta a reposição salarial de 8% retroativo a 1º de agosto. A empresa oferece 3% para ser pago a partir de janeiro do ano que vem. Outra reinvindicação é a do fim do processo de privatização que o governo Temer está encaminhando.

Agora também enfrenta o Judiciário, que concedeu liminar caracterizando a greve como abusiva. A alegação é de que a greve iniciou quando a negociação ainda estava em andamento.

Somos obrigados a reconhecer que esse Judiciário é criativo quando quer atacar o direito de a classe trabalhadora lutar, pois sabe que a negociação demorou exatamente por responsabilidade da empresa que faltou às reuniões, suspendeu as negociações e tem realizado várias manobras e ameaças contra a categoria.

É uma greve importante e tem alta adesão em vários locais de trabalho, alcançando os 26 estados e com uma importante força dos trabalhadores que, inclusive, pressionaram para entrada de suas bases na greve nacional a própria federação (Findect), da qual participa sindicatos de São Paulo e Rio de janeiro, dirigida pelo PCdoB.

Todo apoio à greve e contra a decisão do TST

Nesse momento de ataques aos direitos dos trabalhadores, a vitória da greve de Correios é fundamental para a garantia de direitos desses trabalhadores e para impor uma derrota ao governo Temer e sua equipe econômica, que avançam na privatização de várias empresas públicas e de riquezas naturais.

Nesse momento em que o TST declara a greve como abusiva, a empresa se fortalece para impor cortes nos salários e até adotar outras medidas como perseguição. A solidariedade e o apoio a essa greve são fundamentais.

  • Todo apoio a greve dos trabalhadores e trabalhadoras dos Correios!
  • Revogação da liminar do TST!
  • Correios 100% público!