Direita Venezuelana e Estados Unidos preparam golpe na Venezuela no dia 23 de fevereiro!


22 de Fevereiro de 2019

A direita venezuelana dirigida por Guaidó e com apoio do imperialismo estadunidense, se prepara para dar mais um passo no golpe para derrubar Maduro e alçar Guaidó como Presidente do país, mesmo não tendo sido eleito.

Segundo os dirigentes da oposição burguesa venezuelana, do alto comando das Forças Armadas e do Secretário de Estado (Ministro das Relações Exteriores) dos Estados Unidos, no próximo dia 23 de fevereiro (sábado), será entregue para a população “a ajuda humanitária”, sem especificar exatamente o que tem nessa “ajuda”.

Para cumprir essa “bondade”, milhares de militares estadunidenses foram mobilizados para a Colômbia, que tem servido de base para essas operações. Embora tente aparecer como ajuda humanitária, trata-se de uma ação de provocação com o objetivo de criar pretexto para a intervenção. A ação também conta com o apoio logístico do governo Bolsonaro.

O discurso de ajudar os pobres da Venezuela soa como uma piada dos Estados Unidos, já que são os responsáveis por milhares de mortes em todo o mundo. Os bombardeios sobre as populações camponesas no Vietnã, o apoio aos torturadores nas ditaduras, o apoio aos grupos paramilitares ligados ao narcotráfico e a política de sangria das riquezas dos países da América Latina são alguns exemplos de que os Estados Unidos é um dos Estados mais assassinos da história da humanidade.

O governo de Trump quer o controle sobre as reservas de petróleo da Venezuela, que são as maiores do mundo.

O boicote econômico dos Estados Unidos jogou as massas trabalhadoras e pobres à fome e à extrema miséria. Não estamos com Maduro, mas lutamos contra toda de ingerência e de intervenção dos Estados Unidos na Venezuela.

O governo Maduro, no entanto, também é responsável pela crise econômica e pela situação que o povo venezuelano está submetido. A administração dos recursos do petróleo foi direcionada para manter os privilégios da burocracia do Estado e da “boliburguesia”, deixando o povo com fome. O governo de Maduro é nacionalista-burguês. E como todo governo burguês, não conta com nosso apoio.

Mas também, não apoiamos a direita venezuelana e o imperialismo que, juntos, estão construindo uma situação para preparar a intervenção militar na Venezuela. Só a classe trabalhadora venezuelana poderia se colocar como uma alternativa contra Maduro e contra a direita dirigida por Guaidó.

A vitória da direita e de uma intervenção militar dos Estados Unidos contra o povo venezuelano colocaria uma situação bastante complicada para os movimentos sociais no continente, pois, para manter uma invasão desse porte, teria que ampliar sua atuação militar para toda a América do Sul. Além disso, em termos mundiais, os conflitos entre Estados Unidos, Rússia e China, também se aprofundariam.

Assim, mantendo nossa independência e oposição ao governo Maduro, nos colocamos totalmente contra a intervenção dos Estados Unidos. Defendemos também uma ampla campanha contra a presença de forças militares dos Estados Unidos na América Latina.

Do governo Bolsonaro, exigimos a retirada de todo e qualquer apoio aos Estados Unidos nessa empreitada militarista.

Fora Estados Unidos da Venezuela e da América Latina!

Pela autodefesa e armamento dos trabalhadores venezuelanos!

Que o povo venezuelano decida sobre seu destino!