Repúdio às execuções de Marielle Franco e de Anderson Pedro Gomes no Rio de Janeiro


15 de Março de 2018

Na noite de ontem, Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro pelo PSOL, ao sair de uma Roda de Conversa intitulada “Mulheres Negras Movendo Estruturas!” teve seu carro cercado e alvejado por ao menos nove tiros. Ela e o motorista Anderson Pedro Gomes morreram na hora.

A quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro, uma mulher, negra, favelada, lésbica, militante feminista e defensora dos Direitos Humanos, realizava um trabalho de denúncia e enfrentamento às ações da polícia e das Forças Armadas contra pobres e negros no RJ e no dia 28 de fevereiro havia sido nomeada relatora da Comissão que acompanharia a intervenção militar no Estado. Sabemos que o capitalismo nos mata aos poucos todos os dias, mas quando enfrentamos o capital, ele nos executa! 

Como dissemos, ao contrário do que o governo diz, a intervenção militar no Rio de Janeiro não tem como objetivo acabar com a criminalidade, mas sim criminalizar a pobreza, aumentar a repressão aos movimentos sociais e a qualquer forma de resistência as injustiças do Estado e garantir a disputa de mercado entre os traficantes. Esse é o papel da Intervenção nas periferias do Rio de Janeiro, matar e calar pobres, negras e negros. Jamais protegerá a população.

Essas mortes, ao contrário do que diz a mídia e os governos Pezão e Temer, são parte da violência do Rio de Janeiro e do país. Foram execuções! São crimes políticos para tentar calar quem luta e exterminar parte da população pobre.
É mais uma execução política que se soma às dezenas que têm ocorrido no campo e na cidade!

Nos solidarizamos aos familiares de Marielle e Anderson, ao PSOL do RJ e a todas e todos camaradas de luta, que seguem enfrentando ou combatendo esse sistema para que não sigamos sendo assassinadas e assassinados.

Repudiamos também o cinismo da burguesia e de seus políticos, Temer e companhia, que alimentam a truculência da assassina máquina de matar das Forças de Segurança do país. São as mesmas que têm como aliados os jagunços que assassinam lutadoras e lutadores pela Reforma e pela Revolução Agrária nas várias regiões do país.

O Estado brasileiro é responsável por mais essas mortes! Pela desocupação imediata de morros e favelas! Fim da Polícia Militar e da intervenção militar no RJ! Pela imediata apuração das execuções políticas e punição imediata aos responsáveis!

Nenhuma trégua a esse sistema! Que a classe trabalhadora vingue cada uma dessas mortes! Que toda militância que derrama seu sangue na luta, tenha a retribuição de uma sociedade sem classes, justa e igualitária! Pelos nossos mortos, nem um minuto de silêncio, mas toda uma vida de luta.

Marielle Franco, presente e vencerá!

 

Assinam esta nota:

Espaço Socialista – Organização Marxista Revolucionária

Movimento de Organização Socialista (MOS)